Sindicato representa Paulínia em forte protesto 💪 contra a Reforma Administrativa em Brasília

O STSPMP, através do presidente Rodrigo Jacquet e o diretor Rodrigo Macelari, esteve presente nesta terça, dia 3, em Brasília, para expressar junto aos representantes das 11 Centrais Sindicais e de diversas outras entidades de Servidores de todo País, nosso repúdio contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 32 – a Reforma Administrativa. A concentração foi em frente ao Congresso Nacional, justo no dia em que deputados e senadores retomaram ao trabalho. Mais de 3 mil pessoas participaram da mobilização contra os ataques ao serviço público em todos os níveis (federal, estadual e municipal), com o fim de diversos direitos do Servidor e a abertura do serviço público para interesses privados.

A manifestação teve passeata da Biblioteca Nacional de Brasília para o Congresso Nacional. As lideranças sindicais protocolaram o manifesto do movimento com um conjunto de reivindicações e encaminhamentos do coletivo. Alguns parlamentares contrários à proposta acompanharam o movimento em frente ao Congresso Nacional. Atualmente, a matéria tramita na Câmara dos Deputados, onde a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) aprovou, dia 25 de maio, a admissibilidade da “desreforma” contida nela.

Rodrigo comenta:

Nós como entidade sindical temos o dever de representar os trabalhadores de Paulínia e apresentar a nossa indignação frente aos desmandos do Governo Federal com os direitos dos Servidores. Nos unimos neste forte movimento para fazer valer a nossa voz e mostrar que não ficaremos calados mediante aos ataques. Além da nossa presença aqui em Brasília, nós participaremos também dos movimentos organizados na nossa cidade. Pedimos o apoio de toda a categoria e em breve divulgaremos os novos atos”.

A PEC 32

A Reforma Administrativa é mais do que um ataque ao Servidor. Ao acabar com a obrigatoriedade do concurso público, a PEC 32 prevê que os governantes e políticos terão à disposição mais de 200 mil cargos de livre nomeação. A proposta não visa reduzir qualquer privilégio, pois a grande maioria dos Servidores estão há muito tempo sem reajuste. Os altos escalões da Justiça, do Ministério Público e Defensoria Pública e Forças Armadas estão de fora do seu alcance!

A proposta acaba com a regra geral da estabilidade no serviço passando a garantir esse direito apenas para as carreiras típicas de Estado. Ainda permite a cumulatividade de cargos e cria uma nova espécie de cargo público – mesmo via concurso – na qual o Servidor terá um ano de vínculo de experiência com a Administração, podendo ser dispensado após esse período caso sua avaliação não seja considerada satisfatória.

A PEC também altera profundamente o desenho do Estado e sua capacidade de intervir na economia. Entre outros pontos, a PEC prevê que apenas o presidente tenha o poder de promover alterações no desenho das instituições da administração pública, tirando as atuais atribuições do Congresso Nacional.

ASSISTA AO VÍDEO DO PRESIDENTE RODRIGO JACQUET

PALAVRA DO DIRETOR MACELARI

MAIS IMAGENS DO PROTESTO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×