Cobramos melhores condições de trabalho para os Servidores em reunião

O Sindicato esteve em reunião com o secretário de Saúde Dr. Fábio Alves. O encontro ocorreu de forma virtual na tarde de ontem, dia 11. Tratamos, principalmente, da recomendação do Ministério Público do Trabalho (MPT) sobre os cuidados aos trabalhadores e da intensificação das medidas restritivas por parte do Governo do Estado. Apesar de nossa insistência quanto a um esquema de rodízio e de home office (para aqueles com essa possibilidade), ele, por hora, manterá todos sem revezamento.

Falamos também da uniformização das normas, rotinas, orientações e benefícios entre as diversas secretarias. É entendimento do Sindicato que deve haver centralidade da Secretaria de Saúde na condução das medidas referentes à pandemia, sob risco de observarmos diversas ações divergentes entre si dentro da Administração. Segundo ele, isso já está em tratativa para ser feito de forma uniforme.

Solicitamos a reconsideração sobre o atendimento todos os dias da semana de forma presencial nas Escolas, pois, além do risco de contaminação no próprio local de trabalho, os funcionários correm risco no percurso, assim como os funcionários no Paço Municipal. O Dr. Fábio vai reavaliar essa questão junto às Pastas correspondentes.

Pedimos também providências para verificação dos EPIs (Equipamentos de Proteção Individuais) nos locais no qual há falta. O secretário afirmou se empenhar ao máximo para isso não ocorrer e corrigir a questão do EPIs. Comentou também ter a meta de finalizar a vacinação de todos os profissionais da Saúde e atingir percentual de 70% da população no menor tempo possível.

IMPORTANTE: se até segunda, dia 15 de março, a Prefeitura não adotar o decreto do Estado de São Paulo convocaremos assembleia para terça. Continue ligado e acompanhe as próximas notícias!

LEIA TAMBÉM

Abaixo-Assinado | Reivindicamos maior proteção aos Servidores na pandemia

Os especialistas são unânimes em afirmar que estamos em um momento mais grave do que a “primeira onda” do novo Coronavírus. Isso se dá pela forma mais grave da doença, pela infecção dos mais jovens (com maior período de UTI), pela exaustão emocional, pela vulnerabilidade financeira e pelo fato da evolução estar muito parecida nas diversas regiões do País. Paulínia já está com 100% de ocupação na UTI…leia na íntegra

CLIQUE AQUI E ASSINE O ABAIXO-ASSINADO!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×